Mês: janeiro 2015

Por que escrevo

Escrevo como para marcar um ponto de aprendizado, uma expressão de vida. Escrever para convencer seria arrogância, e ingenuidade. Aliás, toda arrogância é um tipo de ingenuidade. Escrevo, então, para lembrar que estou vivo.

Ida

Assisti Ida. Trata da história de uma freira cristã (mas filha de judeus) que perdeu os pais por ocasião da Segunda Guerra e então foi adotada em um convento. Tem me soado repetitivo o tema da Guerra, mas ‘Ida’ vale a pena. Desolador.