Categoria: Cinema

Spotlight

“É fácil esquecer que passamos a maior parte do tempo tropeçando no escuro. Uma hora a luz se acende e sobra uma boa porção de culpa para distribuir”. Marty Baron (Liev Schreiber) em Spotlight, um filme sobre jornalismo investigativo e pedofilia na Igreja Católica. Fundamental. 

Oscar

Grande Hotel Budapeste, o mais belo. Boyhood, o mais desolador. Birdman, o mais original. Whiplash, o mais cru. A Teoria de Tudo, o mais divertido. O Jogo da Imitação, o mais escroto. Meu oscar vai para a crueza de Whiplash.

Ida

Assisti Ida. Trata da história de uma freira cristã (mas filha de judeus) que perdeu os pais por ocasião da Segunda Guerra e então foi adotada em um convento. Tem me soado repetitivo o tema da Guerra, mas ‘Ida’ vale a pena. Desolador.

Marco Polo

Assisti a primeira temporada de Marco Polo. Grande produção, mas bem abaixo de Game of Thrones. Chamou-me a atenção o perfil do Kublai Khan (neto do célebre Gengis Khan). Kublai é um sujeito bonachão, sem deixar de ser cruel, e uma alma nobre, sem deixar de ser sádico.